Itacuruba entra no mapa mundial e avança como polo de ciência na região


Após entrar no mapa mundial nomeando o asteroide 10468

Itacuruba prepara-se para virar referência na área de ciências no Sertão pernambucano. A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), junto com o Espaço Ciência e a Prefeitura de Itacuruba, avançam no planejamento para ampliar e consolidar esse potencial da região. As próximas ações no município já têm data marcada.   
Além de definir medidas para intensificar as atividades de difusão científica e aproximar o tema da população de Itacuruba, a secretária Lúcia Melo, o diretor do Espaço Ciência, Antônio Carlos Pavão, e o prefeito de Itacuruba, Bernardo Maniçoba, em reunião nesta terça-feira (18), discutiram outros caminhos para transformar a cidade em um polo de educação, cultura e turismo a partir da astronomia. Entre as possibilidades está a implantação de um Centro Vocacional Tecnológico voltado para a astronomia, clima e sustentabilidade, assim como uma a criação de uma Rota de Observação Astronômica.
“Com essa conquista, Itacuruba leva para o mundo uma vocação e patrimônio raros. É preciso aproveitar essa característica como um meio para a promoção de conhecimento e desenvolvimento”, ressaltou a secretária. A confirmação de nomeação do asteroide como 10468 Itacuruba ocorreu no último dia 13, em um congresso científico realizado em Montevidéu, no Uruguai.
No próximo 2 de junho, a placa de batismo do asteroide será formalmente inaugurada pelo Observatório Nacional com uma grande festa na cidade. O Espaço Ciência levará seu projeto itinerante, o Ciência Móvel, inaugurando também a estratégia de intensificar atividades como exposições, observações noturnas e visitas ao Observatório Astronômico de Itacuruba, o Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica (OASI).
Asteroide Itacuruba - O asteroide 10468, descoberto em 1981, ganhou o nome de Itacuruba depois da sugestão feita pela equipe do OASI, como uma homenagem à cidade onde está instalado e é desenvolvido o projeto IMPACTON, que analisa e monitora asteroides, sobretudo os que oferecem maior risco ao planeta. O asteroide Itacuruba está localizado no cinturão principal de asteroides, região do Sistema Solar entre os planetas Marte e Júpiter. Tem um período orbital de 3,58 anos em torno do Sol e um tamanho estimado entre 2 a 5 km de diâmetro. 
Reportagem do Governo do Estado de Pernambuco
Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário