Mesa redonda em universidade busca orientar pais e evitar casos de bullying, automutilação e suicídio

O Plenus Colégio e Curso deu início a um trabalho de esclarecimento com pais de alunos dos ensinos Fundamental II e Médio sobre automutilação, bullying e suicídio.  A primeira ação da unidade consistiu em uma mesa redonda, nesta quarta-feira (10), para 130 genitores no auditório da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape). A iniciativa também busca orientar e prevenir casos de bullying cibernético.
Em abril, o site Google registrou aumento na busca pela palavra “suicídio” em mais de 100%. Naquele mês, estreitou no país a série ‘13 Reasons Why’, produção da Netflix que retrata a vida de uma adolescente, e os motivos que a levaram a suicidar-se. Também em abril, a imprensa brasileira noticiou vários suicídios consumados e tentativas, em estados como Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraíba e Bahia. A polícia investiga a possível relação de alguns casos com um jogo cibernético chamado Baleia Azul.
Por conta disso, o colégio promoveu a mesa redonda na Facape com o título ‘Entre as 13 razões e os 50 desafios’. No evento, o perito criminal da Polícia Federal, Edson Pacheco, palestrou sobre ‘Crimes cibernéticos: o que fazer?’, e lembrou aos pais que é preciso ficar atento a comportamentos estranhos dos filhos diante da Internet e redes sociais. O professor de psicologia da Univasf, Marcelo Ribeiro, discutiu o tema ‘Nem 13 razões nem 50 desafios: o que está por trás do jogo?’, em que levou os genitores a uma reflexão sobre a “espetacularização do suicídio nas mídias e na sociedade”.
Outro convidado, o psiquiatra Gerson Saboya falou sobre ‘Depressão e suicídio na adolescência: como identificar?’.  Em sua intervenção, Saboya disse que os adultos estão se excluindo da vida dos jovens ao mesmo tempo em que os “enche de responsabilidades e tensões”. “Eles precisam se sair bem no colégio, entrar para uma boa faculdade ainda jovens, e assim, se virarem sozinhos na vida”, disse.
Segundo o coordenador do evento e psicólogo do Plenus, Bruno de Oliveira, a escola promoveu a mesa redonda com o objetivo de esclarecer dúvidas dos pais e mostrar maneiras de identificar quando “há algo de errado com o aluno”. Para Oliveira, escola, pais e sociedade devem agir juntos. “Como diz um ditado africano, é preciso uma aldeia inteira para educar uma criança”, concluiu. 
Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário